quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Reitores brasileiros e europeus discutem em Bruxelas mobilidade acadêmica

Reitores brasileiros e europeus discutem em Bruxelas mobilidade acadêmica

(Sirleide Pereira)

A discussão sobre inovação na área acadêmica e empreendedorismo no meio
produtivo marcou o 7º Encontro Empresarial Brasil-União Europeia, que
contou com a presença da presidente Dilma Roussef, e o Fórum Brasil-União
Europeia sobre Internacionalização da Educação Superior, do qual
participou a reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte
(UFRN), Ângela Paiva Cruz. Simultâneos, os dois eventos ocorreram nessa
segunda-feira, 24, no Centro de Convenções Square Brussels Meeting Centre,
em Bruxelas, capital da Bélgica.

Em visita oficial à Bélgica a Presidente Dilma Roussef destacou o
desenvolvimento econômico, sobretudo no campo da agroindústria. Cerca de
30 empresários brasileiros testemunharam os resultados da política
governamental público-privado no campo, entre eles o Presidente da
Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade e da
Confederação da  Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia
Abreu. Dos empreendedores norte-rio-grandenses estavam o Presidente da
Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (FAERN), José
Álvares Vieira, acompanhado de empresários da agroindústria de mamão e
melão da Região Oeste do RN.

Na ocasião Dilma Rousseff fez um paralelo entre o sucesso da agricultura
no Brasil, “que resulta da parceria entre o setor público e o privado",
incluindo o trabalho conjunto da Empresa Brasileira de Pesquisa
Agropecuária (Embrapa), que pode dar certo em iniciativas de outros
setores, como o da educação superior.

Expectativas para as IFES

Constituída pelo Secretário de Ensino Superior do MEC (SESU), Paulo
Speller, Presidente da CAPES, Jorge Guimarães, Presidente da Andifes,
Jesualdo Pereira, reitores de várias universidades públicas da federação,
inclusive a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Ângela
Paiva Cruz, a comitiva da educação superior brasileira foi recebida por
Jordi Currel Gotor, diretor de Ensino Superior da Comunidade Europeia.

Em Bruxelas, os participantes ouviram do reitor da Universidade Federal de
Minas Gerais (UFMG), Clélio Campolina, que papel social as universidades
devem exercer em situações de crise global e de mudanças geopolíticas,
como a que se configura atualmente no mundo.

A apresentação fez parte da mesa-redonda Empreendedorismo e inovação na
educação superior, a qual abriu uma porta para a discussão sobre as
relações internacionais entre as instituições de educação superior entre
os dois lados do atlântico. Ao final do Fórum os reitores brasileiros se
mostraram esperançosos com perspectivas de novas parcerias que possam
surgir entre instituições de ensino superior, empresas brasileiras e as
pertencentes à União Europeia, sobretudo no que diz respeito à área de
inovação no setor empresarial.

Acompanhada do professor Aderson Nascimento, secretário-adjunto da
Secretaria de Relações Internacionais e Interinstitucionais (SRI) da UFRN,
a reitora Ângela Paiva Cruz declarou ao final do evento que “voltamos para
a Instituição com novas expectativas em relação ao Programa Estruturante
de Internacionalização da UFRN em nossa gestão, principalmente no que diz
respeito às experiências exitosas de inovação e de empreendedorismo que
desenvolvemos e que possam ser objeto de troca de experiências e de
parcerias com instituições europeias”.

Patrocinado pela comunidade europeia e Ministério da Educação do Brasil, o
Fórum Brasil-União Europeia não só fortalece as relações entre as
universidades brasileiras e europeias, como amplia as possibilidades para
a mobilidade estudantil e futuros acordos para a área da pesquisa e a
inovação, conforme ponderou a reitora da UFRN. Para Ângela Paiva Cruz, a
partir desse momento tem-se “um leque de oportunidades para aprofundarmos
a internacionalização da UFRN”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário