domingo, 6 de janeiro de 2013

Henrique começa ofialmente sua campanha

A corrida presidencial à Mesa Diretora da Câmara dos Deputados já não é mais a mesma. Gastos exorbitantes, tótens com fotos de candidatos em tamanho real e belas moças desfilando pelos corredores do Congresso com camisetas de campanha perderam o espaço que ocuparam num passado bem recente. 

 

A farra publicitária que marcou a eleição de 2005, quando Severino Cavalcanti ganhou de virada foi tão constrangedora que normas internas foram baixadas para moralizar as campanhas. A disputa daquele ano, por sinal, deixou lições não só no campo do marketing, mas das negociações e dos acordos políticos. Os custos que chegaram a beirar a casa dos R$ 2 milhões em uma única candidatura diminuíram. As campanhas ficaram mais modestas e discretas.
 
Nas eleições para o biênio 2013/2014, os deslocamentos aéreos representam a conta mais alta a ser paga pelos principais interessados na cadeira de presidente da Câmara.

Com o “fantasma Severino” assombrando candidatos favoritos, o nome oficial do governo para ocupar o cargo, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), já montou um cronograma de viagens. Estão previstas visitas a 12 estados, sendo seis em uma única semana.

Henrique Alves garante que o jatinho será emprestado por um colega de partido, o que restringiria os custos da empreitada ao combustível da aeronave. O valor não foi divulgado pelo parlamentar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário